sexta-feira, 25 de agosto de 2017

"JÁ PASSOU, AINDA BEM".



Dia 24 do corrente, completei mais um ano de vida, processo corriqueira entre os seres humanos, cumprir o ciclo vital: Nascer, crescer, atingir a maturidade, casar, reproduzir, envelhecer e morrer.
Uns ficam pela metade do caminho, outros ficam sem reproduzir, coisas da vida.
Sou um homem pobre, humilde, acostumado às coisas pequenas e ao silêncio.
Porém, nada de velinhas, palminhas, oba-oba, confetes e formalidades.
Gostaria de passar esse dia jejuando, meditando, lendo, escrevendo e ouvindo músicas evangélicas, ou seja, alimentar a alma e o espírito, e não o corpo.
Porém, não posso fechar a porta para minha família, o meu tesouro, projetado, realizado, ratificado e assinado pelo Deus Todo Poderoso e Único, que confio piamente.
No meu nascimento, o cara que prega, nos céus, uma estrela, anunciando mais uma vida, com uma preguiça absoluta, jogou a mão para trás e trouxe sem olhar algo, pregou nos céus, e aí sim, notou-se que ao invés de uma estrela, pregou uma cruz, cheia de ódio, traição, inveja e fofoca, no que tange a minha vida profissional. Pior: ao invés de uma cruz de madeira, pregou uma cruz de aço, é mole, ou quer mais?
Na ferramentaria da vida, mais um erro: Estava escrita a seguinte frase: O essencial na vida é abrir caminho ou cavar a sepultura. O cara entregador, sem qualquer tipo de responsabilidade, ao invés de entregar uma foice, um facão, uma enxada, entregou uma pá, inversão de valores.
Até hoje, estou abrindo caminho com a pá, é difícil, porém, não impossível.
Deixarei de registrar as ciladas, que os energúmenos colocaram no meu caminho.
Dia 24 de agosto, data de muitos acontecimentos, porém, dentre eles, registrarei alguns:
- As cidades de Pompeia e Herculano são destruídas pela erupção do vulcão Vesúvio.
- Suícida-se, com um tiro no peito de um Colt calibre 32, o Presidente do Brasil, Getúlio Vargas.
- Janio Quadros, sete meses após ser eleito, renuncia à presidência do Brasil.
- Mark David Chapman, assassino de John Lennon, recebe a sentença de prisão perpétua.
- A decisão mundial de futebol, entre o C.N. Marcílio Dias, de Itajaí, contra o Peri de Mafra, um dia histórico.
- Maior registro da data: Nascimento do degas, coisa de louco.
Deus me deu uma família, coesa, unida.
Sabemos perfeitamente que a força de uma corrente, não está na individualidade de cada elo, e sim, na união dos mesmos.
Assim é a minha família, união absoluta e com um lado totalmente positivo: Todos creem num Deus Único, Poderoso e Misericordioso.
Para mim basta já me sinto totalmente realizado.
Alguns avisos para meus algozes invisíveis;
- Não ando bem como quero, nem mal como desejas.
- Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido.
- Não temas, porque eu sou contigo: não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritam contra ti, tornar-se-ão nada; e os que contenderem contigo perecerão.
- Creio num Deus Único e Poderoso que: Abriu o Mar Vermelho, abriu o Rio Jordão, transformou água em vinho, deu luz ao cego, fala ao mudo, escuta ao surdo, curou leprosos, livrou os companheiros de Daniel no forno de fogo ardente e livrou Daniel na cova dos leões.
Quer mais?
Como ficará a minha vida? Deus proverá, Deus proverá, Deus proverá.
Abraços do
Catarina Paranaense.

domingo, 20 de agosto de 2017

"PROVA DE VIDA".



É muito normal, o aposentado fazer prova de vida, para continuar recebendo a merreca do salário, isto na vida privada, é lógico.
Você que têm conhecidos, parentes, que são aposentados, chega de leve nos mesmos, sem assustá-los, e faça a seguinte pergunta: Fulano! Você continua recebendo o mesmo valor do início de sua aposentadoria?
É claro que a resposta será “NÃO”. O valor da aposentadoria vai caindo, caindo, até chegar ao salário mínimo.
Cadê os direitos adquiridos? Sou revoltado quanto a esse processo. Você trabalha a vida toda, consegue a aposentadoria, que já é uma merreca, com o passar dos anos, o valor vai caindo ligeiramente, isso na vida privada.
Ainda bem, que já aplicaram uma identidade peculiar, ou seja, “PRIVADA”, chamando todos, dentro desse contexto, de bolo fecal, lamentável.
Procurar os direitos? Com quem? Advogados? E dinheiro para tais despesas? O negócio e receber o referido valor e ficar de boca fechada nada mais nos restam.
Fica registrado o meu desabafo, nada mais.
Então, fui convocado pelo banco que recebo a aposentadoria, a apresentar minha prova de vida.
Coloquei uma beca de catar ovo, muita brilhantina no cabelo e boas pingadas de óleo Dirce, coisa de louco.
Dirijo-me ao referido banco, cumprir meu dever de aposentado, grandes “M”.
Primeiro passo: Chegar ao banco.
Segundo passo: Passar pela porta giratória; lá já começou a encrenca, o guarda, ou melhor, o guarda-roupa olhou para mim e perguntou: “Vai fazer a prova de vida”?
Como é que você sabe?
- Ora bolas, com tal aspecto, só pode ser um vivo morto, principalmente com essa banha no cabelo, parecendo que enfiou a cabeça numa lata de banha.
- Não gostei da gozação, contudo, passou em branco.
Cheguei ao atendente dos terminais e perguntei: Posso fazer a prova de vida com você?
- No seu caso não, aspecto meio duvidoso para assumir tal responsabilidade; dirija-se ao caixa.
- Ali começou o lado bom da coisa, primeiramente apanhar a senha, no meu caso, fiquei em dúvida, terceira idade ou quarta idade; é, agora criaram a quarta melhor idade, ou seja, dois pés fincados na cova.
Já com a senha em mãos, vamos sentar, esperando a minha vez.
Uma sena agradável, todo mundo com cara de ninguém, com a senha na mão, esperando a vez de chamada.
É um tal de senta e levanta do cão, pois os primeiros números coincidem, todavia, o último número não bate com a sua senha.
Não deixa de ser um exercício, ou seja, senta, levanta, senta e levanta coisa de louco.
Pimba chegou a minha vez.
Já no caixa, aquela velha frescura:
Bom dia!
- Bom dia!
Depósito?
- Não, prova de vida!
- Lamento, disse a caixa, é necessária a presença da pessoa interessada; não aceitamos interferência de terceiro!
- Minha caixa, senhora, funcionária do banco, sou eu o  chamado por vocês!
- Você?
Chamarei o gerente para continuar o processo, pois, o seu aspecto não é dos melhores, dá-se a impressão que o senhor foi desenterrado de uma lata de banha. Credo!
- Minha senhora duvidosa, estou vivo, muito vivo, não estou com banha no cabelo, mas sim, brilhantina das melhores, OK?
- Brilhantina? O meu bisavô sempre contava que o seu tataravô usava essa tal de brilhantina, coisa lá do passado. De um modo em geral, todos que usavam brilhantina já se foram, não estão mais em nossos meios, por isso que não posso ratificar a sua prova de vida.
Chegou o da gravata, o gerentão.
- O senhor veio fazer a prova de vida?
- Sim senhor, algum problema?
- O senhor mora em algum cemitério, ou tem endereço vivo?
- Claro que tenho.
- Posso saber donde veio, já que está com a cabeça, ou melhor, os cabelos, cheios de banha; trabalha em algum frigorifico?
- Caro gravata, nanico por excelência, não se trata de banha, mas sim, brilhantina, OK? Eu disse brilhantina, entendeu?
- Meu caro duvidoso, tai o motivo de nossa dúvida, pois, este produto era usado pelos antigos, todos mortos! Posso saber a origem de tal produto?
- Comprei na casa de seu avô, OK?
- Nada feito, o meu avô está morto.
- Só sairei daqui com a prova de vida na mão, caso contrário, dormirei no banco e fim de papo.
- Entrega a prova de vida para esse infeliz, contudo, faça uma observação, a saber: “Vivo, porém, com aspecto cadavérico”.
- Ufa, que merda.
- Já com a prova de vida na mão, passando, novamente, pelo guarda-roupa, o mesmo falou:
Conseguiu a prova de vida fantasma?
- Aí eu fiquei macho, chamei o cara para a briga, já no lado de fora do banco.
- Ele veio?
- Não, o cara não estava no posto, foi tomar café, mas que eu chamei o baita monte chamei.
O quê foi?
Alguma graça para abrir essa canjica cheia de dentes?
Abraços do
Catarina Paranaense.

PS = O futuro de um homem está escrito no seu passado.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

"PAI"



Dia 13-08-2017 =  Dias dos Pais.
PAIS = Abstêm-me de fazer qualquer tipo de comentário, pois me faltam recursos para tal.
PAI = três letras e uma montanha de responsabilidade.
Meu PAI não me ensinou a viver; ELE viveu e deixou-m e observá-lo.
Desejo, apenas, que a Proteção Divina seja com todos os PAIS existentes.
Abraços do
Catarina Paranaense.
PS. Se você está cansado de trilhar pelos seus caminhos, faça o seguinte: Larga os seus caminhos e entra nos Caminhos de Deus; você vai se surpreender.

sábado, 22 de julho de 2017

"SENHOR, O NOSSO REFÚGIO,"



Hoje, estou para baixo, tristeza na alma e no espírito, vontade, apenas, de dormir, dormir e dormir.
Sou humano, devido às injustiças existentes, tenho força até uma altura, depois, começo a sentir os fluídos negativos, soltados por alguns energúmenos, cujo futuro é o inferno, sem sombras de dúvidas.
Você luta, luta, luta de todas as maneiras, porém, a coisa não vai, ou melhor, só volta, infelizmente.
Diante de tal situação corro para os Pés de Deus, o meu refúgio, em todos os sentidos.
Vamos lá:
Senhor, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração.
Antes que os montes nascessem; ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus.
Tu reduzes o homem à destruição; e dizes: Volvei filhos dos homens.
Porque mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem que passou, e como a vigília da noite.
Tu os levas como corrente de água; são como um sono; são como a erva que cresce de madrugada; de madrugada, cresce e floresce; à tarde, corta-se seca.
Pois somos consumidos pela tua ira e pelo teu furor somos angustiados.
Diante de ti puseste as nossas iniquidades; os nossos pecados ocultos, à luz do teu rosto.
Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro.
A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam há oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos.
Quem conhece o poder da tua ira?
E a sua cólera, segundo o temor que te é devido?
Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio.
Volta-te para nós, Senhor; até quando? E aplaca-te para com os teus servos.
Sacia-nos de madrugada com a tua benignidade, para que nos regozijemos e nos alegremos todos os nossos dias.
Alegra-nos pelos dias em que nos afligiste, e pelos anos em que vimos o mal.
Apareça a tua obra aos teus servos. E a tua glória, sobre seus filhos.
E seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos.
Assim seja.
Abraços do
Catarina Paranaense – Paz de Deus seja com você.

PS = Mil cairão ao teu lado, e dez mil, à tua direita, mas tu não serás atingido.

domingo, 16 de julho de 2017

"CABEÇUDO."



Antes de entrar no assunto propriamente dito, tenho alguns registros a fazer, pois como já registrei anteriormente, uso a cabeça para pensar e não arquivar.
Não suporto confetes, nem tão poucas formalidades, contudo, a verdade tem que ser reconhecida.
Não posso falar mal do SUS, em hipótese nenhuma, pois, usei o mesmo por diversas vezes, e fui muito bem atendido.
É o caso das cirurgias de duas hérnias, ou seja, inguinal e umbilical, Hérnias em fase avançadas, podendo corre risco de vida,
Origens das mesmas, trabalho desde muito novo, 12 anos, para ganhar o sagrado pão de cada dia.
Fui para operar a hérnia inguinal, porém, os médicos descobriram que existia outra, Umbilical, em estado avançado. Segundo os mesmos, caso eu batesse a barriga em qualquer obstáculo, poderia ser fatal, e por aí vai.
Operações muito bem sucedidas até o dia de hoje.
Recentemente, ou seja, Março e Abril de 2017 passei por cirurgias de duas cataratas, também, muito bem sucedidas.
Na emissão receita para aquisição dos óculos, tive dúvidas, contudo, caiu a minha cara, pois, os óculos foram de uma precisão absoluta.
Portanto, fiquem muito atentos, pois estou de olho em você, sacou jacaré?
Registro, desta feita, minhas considerações positivas, em relação ao SUS.
Vamos ao que interessa.
A pior coisa que eu faço na vida, é sair para cortar o cabelo. Não se trata não querer cortar o cabelo, contudo, achar um lugar apropriado para o mesmo.
Antigamente, em qualquer esquina tinha um salão de barbeiro, hoje, já é muito difícil, achar tal ponto.
O que existe é salão de cabeleireiros, o que não me cheira bem.
Calma, calma, muita calma, esse é o meu ponto de vista, não interessa o seu parecer, portanto, não se mete aonde não é chamado.
2ª feira, falei em casa, vou sair para cortar o cabelo, Todos, aqui em casa, falaram: hoje não achará local para o mesmo, ninguém trabalha nesse dia!
Não entendo o motivo de não abrir na segunda feira; um dia normal de trabalho. Problemas dos caras e das caras não esquentarei a cabeça com tal decisão.
Mesmo assim fui tentar a sorte.
Oito pontos de cortes, todos fechados.
Já desanimado, de volta, observei um salão na esquina; uma dona cortando o cabelo de uma senhora da melhor idade.
Bati na porta de vidro e fui atendido pela senhora, cidadã, barbeira, de meia idade. A mesma abriu a porta e perguntou: quer cortar o cabelo? Não, não senhora, quero comprar pão! Engraçadinho, você é muito engraçado, ouviu? Já fui de cara perguntando, quanto custa o corte?
Pelo tamanho de sua cabeça vintão. Vai entrar ou não?
Entrarei.
Senta, espera, apanha uma revista e fica bem quieto; hoje acaba de morrer um amigo meu e não estou com vontade de falar, viu cabeçudo?
Não tinha outra opção para cortar o cabelo, achei por bem, engolir o desaforo.
Quando cheguei ,à cliente da vez, uma senhora da melhor idade, apresentava um cabelo longo e apreciável, contudo, quando saiu, parecia a cabeça de um tico-tico. A cabeça ficou redonda que nem uma bola de futebol. A velhinha saiu toda sorridente, coitada!
- Sua vez, senta e vamos a operação corte de cabelo.
Pena que eu não trouxe ferramentas apropriadas para sua cabeça, ou seja: tesoura de grama e tesoura de podar.
Gastarei muito tempo para cortar o cabelo dessa cabeça cabeçuda.
Como deseja o corte? Com máquina ou na tesoura?
- Na tesoura, na tesoura, não me venha com modas novas.
- Uma cabeça tão grande, porém, com tão pouco cabelos, uma pena.
Você usa essa cabeça para pensar, ou apenas, para usar boné?
- Uso, também, para falar mal de alguém, quando está me enchendo o saco!
- Você não tem cara de ser curitibano, ou estou errada?
- Moro aqui há muito tempo, porém, sou catarinense.
- Eu já sabia nunca erro.
- Como assim?
- Simplesmente, pelo tamanho da cabeça.
- Você mora na região?
- Sim senhora, no Hauer.
- Pronto! Está feito o referido corte. Com cabelo, a sua cabeça já é grande, agora, com o cabelo cortado, um verdadeiro cabeçudo.
Espero que tenha coisas boas dentro desse cabeção!
- Minha senhora! Tai o vintão e até outro dia.
Eu não falei, que a pior coisa que eu faço e sair para cortar o cabelo.
Pensando bem, ou melhor, muito bem, fiquei com cara de bossal.
O quê foi? Tá a fim de me encher o saco?
Larga do meu pé jacaré!
Abraços do
Catarina Paranaense – Que a Paz de Deus seja com você.

PS – Ninguém se arrependerá da prática de uma boa ação.