domingo, 16 de abril de 2017

"PÁSCOA."



Páscoa significa mudança, nova vida, liberdade e algo semelhante.
É o caso da ressurreição de Cristo, a saída dos hebreus do cativeiro do Egito, em direção à terra prometida por Deus, ao encontro da liberdade e felicidade.
Que os brasileiros possam amanhecer vendo um horizonte de liberdade total, fartura, emprego, saúde, com suas mesas fartas de alimentos diários, longe da corrupção, falcatrua, roubalheira e miséria.
Deus! Meu Deus! Tenha misericórdia de nós brasileiros, fazendo que os pedidos acima sejam realizados e ratificados com o Teu Poder.
São os votos sinceros do
Catarina Paranaense.

sexta-feira, 14 de abril de 2017

"VAMOS FALAR COM DEUS."



Já que a semana é propicia falar em Deus, Jesus, o nosso salvador, nada melhor para chegar mais perto Dele.
Se bem, que o correto é ter essa animação, devoção, respeito, lembrança, todos os dias e não, em épocas marcantes.
Você concorda comigo ou não?
Meus caros, minhas caras, dentre a situação reinante na humanidade, um caos total e absoluto, só nos resta chegar aos pés de Cristo e pedir, pedir misericórdia.
·         Tudo o que está acontecendo, está registrado nas Escrituras Sagradas. Não se esqueçam do que o Próprio Jesus falou; “Passará o céu e a terá, porém, minhas palavras não hão de passar”.
Reflita, reflita muito bem, pois ainda é tempo, depois não adianta chorar, que queira ou não queira, virá o juízo final.
Mais um momento com Deus: Elevo os olhos para os montes; de onde me virá o socorro?
O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda de Israel.
O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra á tua direita.
O sol não te molestará de dia, nem a lua, de noite,
O Senhor te guardará de todo mal; ele guardará a tua alma.
O Senhor guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre. Amém.
Novamente com Deus.
Para ti, que habitas nos céus, levanto os meus olhos.
Eis que, como os olhos dos servos atentam para as mãos do seu senhor, e os olhos da serva, para as mãos de sua senhora, assim os nossos olhos atentam para o Senhor, nosso Deus, até que tenha piedade de nós.
Tem piedade de nós, ó Senhor, tem piedade de nós, pois estamos assaz fartos de desprezo.
A nossa alma está sobremodo farta da zombaria daqueles que estão à sua vontade e do desprezo dos soberbos.
Amém.
Que Deus Seja sempre contigo e tua família.
Abraços do
Catarina Paranaense.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

"MOMENTO COM DEUS,"



Dentro de sua ótica do mundo, a famosa janela, pois, todos nós temos uma janela para o mundo, qual seu parecer quanto ao comportamento da humanidade, melhorou ou piorou?
Você mesmo responde.
Tenho um recadinho, dentro da Bíblia, para tal situação.
Eis o que está registrado em Romanos 12:2: “E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”
Primeiro momento: EXORTA-SE TODA CRIATURA A CELEBRAR O SENHOR.
Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da terra.
Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto.
Sabei que o Senhor é Deus, foi ele, e não nós, que nos fez povo seu e ovelhas do seu pasto.
Entrai pelas portas dele com louvor e em seus átrios, com hinos; louvai-o e bendizei o seu nome.
Porque o Senhor é bom, e eterna, a sua misericórdia, e a sua verdade estende-se de geração em geração.
Segundo momento: A FELICIDADE DAQUELE QUE TEME A DEUS.
Louvai ao Senhor! Bem-aventurado o homem que teme ao Senhor, que em seus mandamentos tem grande prazer.
A sua descendência será poderosa na terra; a geração dos justos será abençoada.
Fazenda e riquezas haverá na sua casa, e a sua justiça permanece para sempre.
Aos justos nasce a luz nas trevas; ele é piedoso, misericordioso e justo.
Bem irá ao homem que se compadece e empresta; disporá as suas coisas com juízo.
Na verdade, nunca será abalado; o justo ficará em memória eterna.
Não temerá maus rumores, o seu coração está firme, confiando no Senhor.
O seu coração, bem firmado, não temerá, até que ele veja cumprido o seu desejo sobre os seus inimigos.
É liberal, dá aos necessitados, a sua justiça permanece para sempre, e a sua força se exaltará em glória.
O ímpio verá isto e se enraivecerá; rangerá os dentes e se consumirá; o desejo dos ímpios perecerá.
Obs. É claro que quando se fala do homem, na realidade prende-se ao homem e mulher, sem distinção.
Que a misericórdia e o Poder de Deus seja contigo para sempre.
Abraços
Do Catarina Paranaense.

sexta-feira, 31 de março de 2017

"COMPLICAÇÕES VISUAIS,"



Já usei tal colocação, contudo, usarei novamente, ou seja, uso a cabeça para pensar e não para arquivo.
Os dados para arquivo registro neste espaço, como estou fazendo agora, para consultas futuras. Assim sendo, trata-se de registros estritamente pessoal e confidencial, sem interferência de terceiros, portanto, não me venham com churumelas e fim de papo.
Quando fiz a cirurgia inguinal, o médico aproveitou a oportunidade e operou, também, a umbilical, cara inteligente; fiquei tão cortado que na hora de tirar os pontos, o operador frisou: Dá-se a impressão que você levou um tiro de espingarda pica-pau.
Você sabe o que é uma espingarda pica-pau?
Sabe coisa nenhuma, não sabe, absolutamente, nada.
Era uma espingarda abastecida pelo cano, ou seja, colocava-se pólvora, e logo em seguida, os chumbinhos, após socá-los firmemente, estava pronta para o tiro, soltando chumbinhos para todos os lados, coisa de louco.
Já na cirurgia dos olhos, não aconteceu à mesma coisa, ou seja, operar os dois olhos simultaneamente. Não sei se não é possível, ou faltou aviso de querer!
Operei o olho esquerdo, ficando pendente, o olho direito.
Com tal processo cirúrgico, surgiram complicações visuais, tais como:
1 – O olho operado ficou maior do que o olho não operado é mole?
Se em condições normais o conjunto já não agradava, pense num olho maior do que o outro.
Fiquei que nem o relojoeiro quando se utiliza de sua lupa ou lente, para inspecionar a máquina do relógio.
O próprio relojoeiro, meu vizinho, um grande cliente, compra um tubo de silicone 50grs, a cada três meses, aceitando, apenas, a marca Tek-Bond. Olhou para o meu olho operado e falou: Entrou na escola de relojoeiros?
Curiosos querendo saber o porquê do olho maior.
No meu caso ainda é pior, pois, o giro da clientela é grande, exemplificando o caso de hoje: Recebi seis pessoas, três querendo informações de localizações, ou seja, DETRAN, Correio e Agência de Empregos; um queria fumo em corda, outro, bico de papagaio e o terceiro ração para cachorro, ufa! Haja resistência e explicações.
2 – Fiquei com dois campos visuais, a saber: O lado operado apresentava-se tudo muiiiiiiiiiito graaaaaaaaaaaaaande; o lado não operado, tudo muiiiiiiiiiiiito pequeeeeeeeeeeeeeeeno.
Fui entrar num ônibus, porém, apresentou-se uma porta gigante, contudo, ao entrar, dei com a cara na lata da porta, pois, meia folha estava fechada. Não deu outra, voltei e dei com a bunda no chão. O motorista, com aquela educação peculiar, falou: Tá cego manè, quer acabar com a porta do meu ônibus?
Estou escrevendo este blog com dificuldades, pois, uma parte é maiúscula, a outra minúscula, coisa de louco.
Lembrei-me de um professor que tinha o hábito de orientar o seguinte: Quando vocês estiverem diante de um problema, não pensem duas vezes, criem probabilidades e possibilidades. Fiquei com esta coisa na cabeça. Entrei num quarto de visita e observei um espelho retangular enorme, mimo de minha mulher, pois, além de custar caro, foi comprado na Casa China, em dia de promoção, o famoso bota fora.
Olhei, olhei, olhei para trás, pois fiquei em dúvida quanto aquela coisa refletida no espelho; sou realmente o degas ou, tem alguém atrás de mim? Infelizmente, não deu outra, reflexo do degas.
Para minha desgraça e decepção, a minha metade era grannnnnnnnnnnnnde, a outra metade pequennnnnnnnnna, uma verdadeira coisa.
Comecei a girar lentamente, em sentido de 45 graus. A coisa deu certo, o campo visual maior era compensado pelo campo visual menor, chegando num consenso.
Não pensei duas vezes, comecei a andar de quina, haja vista, que estou escrevendo este blog de quina, é mole? Tudo por uma falha cirúrgica ou sei lá?
3 – Achei uma solução para campos visuais diferentes, porém, não conseguia me livrar das perguntas, quanto ao olho grande.
Graças a esta cabeça brilhante, veio uma ideia? Use óculos escuros e fim de papo.
4 – Não tenho óculos escuros, entra a lição do professor, criem probabilidades; então sem tempo a perder, emprestei do meu filho mais moço.
Agora, o meu filho dirige o carro, em dias de sol, sem óculos escuros e eu, o degas, fico em casa, com óculos escuros.
A iniciativa não foi das melhores, pois, as perguntas continuaram, a saber:
- Usando óculos escuros com chuva Mané!
- Tá escondendo um direto no olho?
- Andou brigando com alguém?
- Tá escondendo a cara por quê?
Uma verdadeira merda, aquele velho ditado: Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
5 – Aplicação de colírio.
Não consigo pingar o mesmo nos meus próprios olhos, necessito de outra pessoa para o processamento.
Um colírio de hora em hora, após 24 horas, de 4 em 4 horas. Outro de 8 em 8 horas, ambos, durante um mês, é mole?
Criei uma tabela de horários e colei no meu peito.
A minha mulher é a aplicadora, contudo, às vezes, a mesma está ausente, aí vem à meleca.
Já falei em blog anterior que o meu cliente Bocarra, sempre achou que não levo a vida a sério.
Não é bem assim, acontece que certa vez ele apanhou-me querendo bater com a ponta da língua, na ponta do nariz.
Outra vez, apanhou-me praticando a terapia do grito e berro.
Na ausência de minha mulher, chegou uma cliente, a dona Florzinha, não pensei duas vezes, solicitei para a mesma pingar uma gota do colírio no meu olho grannnnnnnnnnnnde.
Quando a mesma estava pingando, com certa dificuldade, tentando achar um ângulo melhor, para minha desgraça, chegou o Bocarra; olhou, olhou, balançou a cabeça e se mandou, desgraça pouca é bobagem.
Tenho que administrar tal situação, até dia 10 de abril de 2017, acreditando que o médico do olho, cujo nome da especialidade, é do tamanho de um trem, autorize a cirurgia do olho direito.
Vamos aguardar.
Abraços do
Catarina Paranaense.

OS. O que encobre as suas transgressões nunca prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia. Provérbios 28:13.

sábado, 25 de março de 2017

"AS CATARATAS DO CATARINA,"



Ufa! Ufa! E Ufa!
O quê foi? Quer mais?
Ufa, ufa, ufa, ufa, ufa e ufaaaaaaaaaaaaaa!
Tudo começou com uma consulta ao médico doutor Filé de Borboleta, já comentado em blog anterior.
Dentre alguns males sofridos, destaquei a situação que estava utilizando, ou seja, meus olhos, meus óculos e a lupa, para enxergar 50% da visão, é mole?
O doutor Filé não pensou duas vezes, solicitou alguns exames para encaminhar-me ao hospital de olhos.
Exame de eletrocardiograma: fui chamado pela operadora, uma coroa, com uma minissaia de fechar as portas. Foi logo dando ordens, tira a camisa e deita na maca.
Quando me olhou sem camisa falou: Nossa! Nossa! Que tanquinho, que esfregadeira de roupa!
Pensei: esta coroa está maluca, a minissaia está fazendo mal para a mesma.
Sem titubear fui falando aquele velho papo laxativo: não bebo, não fumo, faço caminhada de 6 kms por dia e tomo dois litros de água por dia.
A coroa apanhou uma espécie de grampo e grampeou os meus lábios e as narinas.
Queria falar, porém, sem condições, saindo, apenas, o hum, humhum, humhumhum.
Sem ar o abdômen cresceu; a mesma quando olhou, gritou: cadê o tanquinho, cadê a esfregadeira de roupa?
- Hum, humhum, humhumhum, sendo que a mesma tirou o grampo dos lábios e falei: “O gato comeu”.
Aplicou todo o processo exigido, me liberou e disse: Resultado quarta feira PV, com o médico.
Diversos exames de sangue: Indicado o laboratório de análises clínicas e data, lá fui eu para o dito laboratório.
São duas situações que me deixa fora do sério, consultório médico e laboratório de análises. Não suporto tais ambientes, fico nervoso, não durmo não me alimento direito e o escambau.
Em compensação, não abro mão das coisas que admiro e pratico, ou seja, fila e porta de ônibus aberta.
Não rejeito uma fila, entro na mesma, fico até faltar duas ou três pessoas, para chegar a minha vez, aí, sim, caio fora, coisa de louco.
Agora, não me venham com fila de duas ou três pessoas, gosto daquelas filas longas, demoradas, que não andam, é bom demais.
Porta de ônibus aberta entro sem demora, fico alguns minutos viajando, depois pergunto o destino do mesmo.
Gosto mesmo é da linha direta, mais conhecida como ligeirinho; o mesmo parte do terminal, roda duas horas, e volta para o mesmo lugar. Neste caso, já antecipo a compra de um saco grande de pipoca ou um pacote de churros.  Comendo e apreciando as paisagens, coisa de louco!
Já com destino ao laboratório, pensei: Devo encontrar uma senhora fila, contudo, aconteceu ao contrário; cheguei ao destino às 6 da matina, sendo que o laboratório abria suas portas às 7 horas. Não gostei da situação, sem fila sem ninguém, uma situação bastante chata.
Não demorou, começou a chegar às pessoas, primeiramente, chegou uma velha, provavelmente, com destino às praias, pois, estava com sandálias Havaianas, chapéu de praias e short bem curtinho, De cara já perguntou: Que horas abre o laboratório?
Depois chegou um boiadeiro, chapéu de couro, com abas largas, chicote na cintura e um bigode rasga fronha; também, perguntou hora de abertura do laboratório.
Apanhei uma folha de papel e escrevi: Abertura do laboratório 7 da matina, e coloquei  no lado de minha calça.
A fila foi engordando, contudo, chegou às 7 da matina e a porta não abriu. Novas perguntas, tais como: Não vai abrir?
Coloquei outro aviso no sulfite e no lado de minha calça: “A madame já volta.
Não demorou, chegou uma moto com um casal, todavia, não conseguiam se despedir daquele velho beijinho de sempre. Levantei o capacete de ambos, se beijaram e a beleza abriu a porta do laboratório.
Já com a senha em mãos, número um, estava na espera, quando chegou uma senhora de meia idade, com cara de quem veio direto da gafieira para o trabalho. Pensei: será que esta dona vai tirar o meu sangue? Não demorou, a mesma me chamou, com uma cara de poucos amigos.
Entrei na sala, mas não observei aquela velha cadeira com um suporte para colocar o braço.
Apontou o dedo para uma poltrona, sendo que logo veio um aviso: O gigante Golias já sentou na mesma. Sentei e não deu outra, fiquei com as pernas no ar, balançando-as, uma verdadeira gracinha. A velha, já com a seringa na mão, empurrou o meu peito e, sem outra saída, afundei na referida poltrona, ficando de pernas para o ar, posição que Napoleão perdeu a Guerra.
- A velha falou: solta o braço pequeno ser.
- Não gostei da situação, contudo, não tinha o que fazer.
Tirou o sangue e resmungou: Resultado dentro de uma semana.
Já com os resultados em mãos, próximo destino, Hospital de Olhos, falar com o Oftalmologista, Vocês observaram que a gente encosta a língua no céu da boca ou, para os mais apurados, o Palato, para falar tal nome?
Agora, imaginam o médico do nasal, concha acústica e gogó, a saber: Otorrinolaringologista, é mole?
Já na rua do referido hospital, observei um tumulto de pessoas, falei para minha mulher: mais uma indústria sofrendo protestos de seus funcionários! Vamos até lá. Quero saber o nome da indústria. Encontrei um senhor na frente do tumulto e perguntei: O senhor sabe o nome da indústria?
- Sim senhor, Hospital de Olhos.
- O quê?
- Isto mesmo, Hospital de Olhos.
Como entrarei?
- O senhor serviu o Exército?
- Sim Senhor.
- Então, coloca a mulher na sua retaguarda, com as mãos nos seus ombros, e o senhor encosta uma palma da mão na outra, como se fosse uma flecha e vai abrindo caminho.
- Dito e feito, consegui chegar ao primeiro atendente.
Bom dia!
- Bom dia!
- Eu tenho consulta marcada para 12h30m, e gostaria de suas orientações para tal?
- Meu caro, aqui não tem hora marcada, é respeitada a hora da chegada e, todo este pessoal está na sua frente. Siga para o segundo andar e constata com o atendente, OK?
- Vamos subir às escadas, primeiro andar, ou seja, depósito de seres vivos e humanos, ainda bem que o nosso é o segundo andar.
Chegamos, contatamos com o atendente e, após, uma série de perguntas, mandou aguardar.
Não demorou muito tempo, apenas duas horas, chamaram: Osvanir de Almeida.
- às suas ordens.
- Vamos lá: você fuma você bebe, você berra você toma AAS infantil?
- Não, caminho 6 kms, todos os dias, bebo 2 litros de água por dia, não bebo e não fumo.
- Não me interessa o que o senhor faz ou deixa de fazer.
Aguarde a próxima chamada.
- Osvanir de Almeida!
- To presente.
- Senta na cadeira e aguarde. Notei que na minha frente tinha uma máquina e atrás de minhas costas uma parede de material, você entrava entre ambos, um tanto apertado.
- Olha para máquina e fica firme,
- Pimba, um sopro que foi amparado pela parede. Isto no olho esquerdo, o mesmo processo no olho direito.
Você saía de lá catando milho.
Afinal de contas, você sabe qual a posição de catar milho? Não sabe, não sabe nada, só sabe é encher o pandulho e nada mais.
Você imagina um canguru, a posição é a mesma, você joga o corpo para frente e sai com as mãos esticadas, defendendo do que poderá encontrar pela frente.
Sem enxergar quase nada, notei que bati com as mãos em alguma coisa; e escutei: “Tá cego babaca”.
A minha mulher informou-me que passei a mão num penteado de uma senhora e desmanchei o mesmo, é mole?
Aguardar mais um chamado.
- Não demorou muito, 3 horas, o chamado: Osvanir de Oliveira!
- Cheguei perto da chamativa e falei: Minha senhora acadêmica, médica, magrela, loira chamativa: Por acaso não é Osvanir de Almeida?
- Tem razão, desculpa, vamos entrar.
- Espia pelo buraco, faz favor!
- Espiei e já levei uma lavagem no olho; processo igual nos dois olhos.
- Agora, senta na cadeira e olhe para a parede, tenta ler aquelas letras,
- A S D F G ,
- Não coloquei ainda às letras na parede, donde você tirou tais letras?
- Lembrei-me do meu curso de datilografia na cidade de São Bento do Sul.
- O senhor é muito engraçado!
- Engraçado era o meu saudoso tio, que conseguia tirar a cueca sem tirar a calça.
- Agora sim, tenta ler às letras.
De trás para frente: S D R e fecha a conta.
- Agora, com o outro olho:
Vamos!
- Estou esperando a senhora colocar às letras na parede?
- Já estão na parede.
- Minha senhora! Nada a declarar!
- Espera lá fora da sala, outra chamada.
- Para encerrar a conversa, saí da sala gatinhando, sem enxergar, absolutamente nada.
Depois de um sufoco danado, marcaram a cirurgia do olho esquerdo, o mais afetado, para o dia 8 do corrente; cuja cirurgia já foi processada com resultados positivos, graças a Deus.
Quando cheguei ao hospital para a cirurgia, foi um tumulto danado. Todo mundo querendo saber da eficiência da operação, pois, estavam todos preocupados com os olhos do Catarina.
Aqueles olhos contundentes, ofuscantes, charmosos, apaixonados, cativantes e cor de mostarda.
Pare! Pare! Pare!
Jaca? Meu amigo Jaca? Mostarda, não é aquela coisa que tem a mesma cor daquela outra coisa?
- Chefia! Uma coisa é uma coisa, porém, outra coisa, é outra coisa, mas às cores são idênticas. Uma depreciação para aquela outra coisa, ser comparada com a cor dos olhos do Catarina!
Jaca! Meu caro Jaca! Você continua sendo a pela mais fina de meu nariz, para sempre.
Quanto à cirurgia do olho direito, já visitei o Oftal e outras coisas, por duas vezes, porém, sem o pode de operar, o que me complicou a situação, ou seja: Estou com um olho excelente, o outro não tão excelente, usando uns óculos que não serve para o olho operado, contudo, serve para o olho não operado, o que obriga a olhar de quina, de lado, usando a lupa para um olho e não para o outro, o que vem mexendo com a minha cabeça.
Próxima consulta dia 10-04-2017, vamos esperar.
Até lá o mundo, mais o espaço sideral, estão apreensivos, contudo, só resta esperar.
O quê foi?
Após a outra operação, estarei de olho em você.
Abraços do
Catarina Paranaense – Ainda olhando de quina.